5.2.10

capítulo III

e mais uns dias teriam agora passado. na companhia de sorrisos e de convivência, a cada dia ela crescera mais, como sempre. aprendera lições de vida, ensinara também e corrigira muitos dos seus erros.
estaria agora num decorrer de dia completamente normal. numa tarde fria, típica de inverno. naquelas tardes em que o vento sopra em direcção ao nosso cabelo e nos foge por entre os cabelos, e a ela fugiu-lhe por entre os seus longos e ondulados cabelos escuros que lhe percorriam os ombros. fugira como fogem os sonhos e as oportunidades que ela não soubera agarrar.
mas enfim, para ela a vida era das maiores aventuras que estaria a viver e sempre aprendera a viver com intuição, com convicção e sempre soubera tomar as melhores decisões, e de facto desta vez não seria excepção.
e por entre a caminhada que estaria a fazer, ela perdera-se no tempo por entre pensamentos e arrependimentos. o frio apertara-lhe a mente e a noite caíra sorrateira sobre ela.
curiosamente, ela poderia ser tudo e mais alguma coisa para muita multidão, mas ela própria sentira-se sempre uma pessoa única, com qualidades apenas herdadas por ela, com sorrisos despertados no momento que só ela sentira que era necessário despertar.
na verdade, uma fase da sua vida estaria agora vencida e subira um patamar importante na sua vida.
teria chegado ao lugar desejado, abrira a porta de casa, parara com os seus pensamentos, esquecera os arrependimentos, desapertara os botões, subira as escadas de madeira e deitara-se na cama, a ouvir música.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ohh muito obrigada dsd já por me visitars, mas um especial agradecimento por deixares a tua opiniao :) beijinho